18.11.08

couch surfing.



Declaro efectuada a minha (só visível para membros) inscrição ! :) , depois de o Fi - CouchSurfer entusiasta - me ter contado, num tom enervantemente cadenciado, que tinha neste momento em casa (Porto) um Belga (o Markus) -, inesperadamente acompanhado pela namorada "Birgit", e por coincidência, ambos licenciados em Arquitectura, em Graz.
Como se não fosse coincidência bastante, a "Birgit", por sua vez, pelo que parece, dá aulas na TUG (Technische Universitat Graz), e - depois de o Fi ter efusivamente explicado (enquanto comia Frango com Mostarda e trazia os Brigadeiros por ele cozinhados) que tinha uma amiga a estudar nessa mesma universidade, e de ela, logo em seguida, ter consultado a lista de alunos da cadeira que lecciona, - confirmou que a "Margarida Amial, nº 0830005" irá fazer, em Janeiro, um Workshop de Iluminação - Space Experiments - dirigido por ela.
Eu sabia que o mundo é pequeno, mas Deus anda clara e exageradamente a brincar com a minha vida.

14.11.08

mais um.



Hoje, naquele mundo paralelo ao qual chamamos muitas (ou demasiadas) vezes casa, aconteceu mais um.

13.11.08

12.11.08

Next Stop.


roubada do flickr do filipe.
Este fim de semana... absorver (o que resta d)a Bienal. :) 

10.11.08

esquizofrenia colectiva garantida.


LeTamtam@Elevate.

Porque, apesar do que se diz por aí, aqui na Áustria, as pessoas não são todas assim "tão tão" - "tamtam" (ahah) - "certinhas" quanto isso, e concretamente há em Graz um "colectivo" especial - Le Tamtam - que, obviamente esteve no Elevate - e é claramente daqueles que vai para a Cave e faz festas particularmente esquizofrénicas. Para além disso, o Alex - que é gay (óbvio) e nos recebe sempre em casa dele para trabalhar com uma garrafa de muito bom vinho mas não tão bom café (o que reduz a uma as hipóteses ainda remotas de escolha) -, diz que o "amigo" (o "cabeça" da banda) é "amazing". Eu gosto particularmente da parte final da ficha técnica. :)



P.S Sei que num campo (bastante) alargado, dadas as possibilidades expostas de utilização deste definhado mas versátil "equipamento hospitalar", este pode ser também um post arquitectónico. :)

7.11.08

let's (try to not) get wasted.


Tenho de confessar que a minha vontade de me enfiar no Schlossberg mais uma noite e dançar desenfreadamente, é tão mas tão inversamente proporcional á de, neste momento, trabalhar para a aula de amanhã tão mas tão de manhã. 

5.11.08

let's get wasted.


O Schlossberg é uma montanha no centro de Graz, artificialmente "esventrada" para dar uso ao seu interior. Uma vez por mês, promove o Dom im Berg - uma basílica que é transformada para proporcionar um evento quase equivalente ao Clubbing da Casa da Música.
Uma vez por ano, acolhe um festival de música electrónica e artes performativas - Elevate - que simultaneamente convida os alunos de "Space/Raum Experiments" (cadeira na qual estou inscrita, mas num outro Workshop) a intervir/manipular/trabalhar através da exploração de diferentes dispositivos de luz os seus diferentes espaços.
Começa hoje, o programa é este, e todos estão convidados a entrar.

4.11.08

"it's cool. we can still be friends."






©
A física e a matemática das leis (ir)racionais do coração.
Ou como podemos mandar tudo à fava e escolher sempre ser só amigos.

1.11.08

"the way you shot right through and how"



E é agora que eu te faço a minha homenagem.
Quando me apercebo que, mesmo depois de estarmos longe, e não sabermos "quase nada" da vida uma da outra... posso-te dizer que continuo a mesma - simultaneamente céptica ou com vontade de apostar em pessoas (com) a vida ou (com) o coração enquanto - agora que perdi (embora não me lembre quando) o meu pavor de altitudes - salto de cabeça movimentos improvisados mas perfeitos em piscinas vazias ou em redes gastas e débeis - enquanto que por vezes me desfaço em pedaços de tecido, com aquelas lâminas de todas as formas e feitios que nós usamos para fazer maquetes com cortes perfeitos e precisos. Acordo despreocupadamente no dia seguinte, e lembro-me que não é novo, que já me tinhas mostrado essas plantas, e cortes e alçados. Que estejas onde estiveres, quando estiveres, será sempre mesmo isto. E então é aí que sinto a tua falta, para me ajudares a guiar o meu carro desafinado. Para me levares contigo pela cidade, enquanto ouvimos a Naming of Things (música que ouço sempre quando conduzo), daquele "pássaro" de voz quente - porque ele também não é perfeito, também se engana, também se esquece e troca as palavras.

Hallo!(e tu?)Win?


via

© the build up